Saiba Como Surgiu A Arma Taser, Como Ela Funciona E Conheça Sua Principal Fabricante

Tempo de leitura: 11 minutos

Atualmente, no Brasil, apenas duas empresas têm autorização do exército para vender este tipo de armamento; a brasileira Condor e a americana Taser. Mesmo sendo considerada pelo exército como de uso restrito as forças policiais e militares, e de venda proibida no comércio não são poucos os sites que comercializam o produto. É proibida a compra, o uso ou o porte da arma taser por civis.

A aquisição de armas de eletrochoque só pode ser feita por importação ou diretamente do fabricante nacional. Um projeto de lei tramitando no congresso nacional que pretende alterar o estatuto do desarmamento para permitir o uso de tasers por civis.

No entanto, já ocorreram mortes decorrentes ao uso deste tipo de armamento. Até quem cuida da segurança tem sido repreendido pelo mau uso. E você, conhece a arma taser ou sobe como ela funciona? Neste artigo vamos falar um pouco sobre a arma Taser, continue lendo e saiba mais sobre esta tecnologia.

Como a Arma Surgiu?

Taser International

Como Funciona Esta Arma?

Polêmica em Relação à Arma

Os Modelos da Arma

Outros Tipos de Armas Não-Letais

Como a Arma Surgiu?

Jack Cover Inventor da Arma Taser
By Taser International, Fair use, https://en.wikipedia.org/w/index.php?curid=21526216

O taser foi a primeira arma que utilizou impulsos elétricos na imobilização de pessoas. Criada em 1969, pelo pesquisador da NASA Jack Cover, que tinha como ídolo de infância Thomas A. Swift, um personagem de ficção criado por Tom Swift. O nome taser seria um acrônimo utilizando as letras iniciais de Thomas A. Swift Eletric Rifler.

Cover nasceu em Nova Iorque em 6 de abril de 1920 e cresceu em Chicago. Ganhou um grau de bacharel e um doutorado em física nuclear.

Ele patenteou a arma eletrônica paralisante em 1974. A arma taser original se assemelhava a uma lanterna grande. Porque usava pólvora para explodir os dois fios em seu alvo, o governo federal considerou-a uma arma de fogo. Uma classificação que descartou um mercado civil e desencorajou também vendas da policia e das forças armadas.

Jack Cover comercializou sua invenção através de uma empresa chamada Taser Systems. Esta empresa entrou em falência e foi vendida a um investidor que a operava sob o nome de Tasertron. A Tasertron era uma pequena empresa que comercializava seus produtos para os departamentos de policia.

Patrick Smith em um projeto de sala de aula desenvolveu um plano de negócio para uma nova e melhorada arma de atordoamento. Quando se formou em administração de empresas em 1993, Smith trouxe seu projeto acadêmico à vida. Depois que entrou em contato com o inventor Jack Cover os dois começaram a mexer no design da arma. Com ajuda de seu irmão e outros membros da família, Smith comprou os direitos para o Taser e fez uma mudança significativa.

Os Smith adaptaram o mecanismo de disparo para que usasse um cartucho de ar comprimido. Isso mudou a classificação da arma para que os consumidores pudessem comprá-lo sem licença.

Taser International

Arma Taser International
Por United States military – http://www.pica.army.mil/PicatinnyPublic/highlights/archive/FastTrack.asp, Domínio público, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=1057688

Os irmãos Smith incorporaram a Air Taser Inc. em Scottsdale, Arizona, em 1993. Contrataram um engenheiro elétrico para projetar um protótipo. No final do ano tinha um modelo para mostrar ao Bureau of Alcohol, Tobacco e Firearms. A agência aprovou o Air Taser para uso do consumidor e a nova empresa começou a vender seu produto em 1995.

A empresa teve boas vendas iniciais, mas seus custos também foram elevados de forma que a Air Taser estava longe de ser rentável. Alem disso, o taser ainda tinha algumas falhas operacionais. Então a empresa desenvolveu um modelo diferente que desencadeou severas contrações musculares no corpo alvo. Depois disso, tentaram vender o taser as forças policiais, mas foram barrados por um contrato de licença entre a Jack Cover e o fabricante Tasertron da taser.

A empresa se aproximou da falência varias vezes, mas prosseguiu. Em 1998 a Air Taser estava legalmente livre para comercializar seus produtos para os policiais. Começara a desenvolver um taser mais potente e a demonstrar o protótipo para a comunidade policial. Ainda em 1998 a empresa mudou seu nome para Taser International, passando a desenvolver modelos mais avançados.

Em 2003 a Taser International comprou sua concorrente Tasertron. A aquisição deu a Taser International acesso a novos mercados militares, pondo fim à disputa legal entre as duas empresas. Vários meses depois a empresa anunciou que estava construindo novas instalações em Scottsdale para atender suas crescentes encomendas. Recentemente a Taser International mudou novamente seu nome para Axon.

Como Funciona Esta Arma?

Mecanismo da Arma Taser

A maior parte das armas Taser utilizadas no Brasil são amarelas para diferenciá-las do arsenal letal. Ela funciona com pilhas colocadas na parte inferior do cabo. São oito pilhas comuns padrão AA, suficientes para 60 disparos, mantendo todo o sistema da pistola em funcionamento, inclusive uma memória que registra até 585 acionamentos. Um recurso bastante útil caso haja a necessidade de investigações sobre o uso da arma.

Depois de instalar as pilhas, o agente tem que conferir o data port do taser, porta de conexão para computador, que coleta informações referentes ao histórico da arma. Antes de colocar a munição é preciso verificar a trava de segurança. O cartucho é colocado na parte frontal e costuma ser descartável tendo que trocar a cada uso. A arma taser pode ser carregada num coldre como qualquer revolver ou pistola.

A carga é transmitida por meio de duas sondas que ficam no cartucho e a exemplo das espingardas e pistolas de pressão, são expelidas por um cilindro de gás, normalmente nitrogênio, com uma velocidade de 35 quilômetros por hora. As sondas podem alcançar até 10,6 metros de distância. Alguns modelos permitem que o dispositivo seja rearmado para novo uso. A arma taser emite um impulso elétrico com 50 mil volts, porem, com baixa corrente e mesma frequência das ondas cerebrais que atinge o corpo do alvo.

A arma Taser emite impulsos elétricos similares as ondas T. O sistema nervoso humano se comunica através de impulsos elétricos. O taser emite sinais semelhantes que se sobrepõe às do cérebro humano interrompendo a comunicação com o corpo, gerando a paralisação dos movimentos.

As Duas Formas de Usar a Arma Taser

Formas de Usar a Arma Taser

Quando utiliza cartuchos, ao ser acionada ela liberará os dardos de pólo positivo e pólo negativo, conectados com um fio ligados a pistola.

As pontas condutoras são feitas em aço pontiagudo com superfície farpada, que impede que a sonda se desprenda do corpo. Para que o circuito seja ativado é preciso que as duas pontas atinjam o alvo. A carga elétrica consegue atravessar até cinco centímetros de tecido. Uma vez fixada ao alvo, permanece transmitindo a carga por cerca de cinco segundos. O que causa uma forte contração muscular que imobiliza a vítima. Após esse tempo mantendo-se o gatilho pressionado, uma descarga é disparada a cada 1,5 segundo.

O sistema de disparo é hidráulico. Ao encaixar o cartucho a pressão para colocá-lo, libera o gás para o disparo, armando o mecanismo. O gás expulsa violentamente as duas sondas assim que o gatilho é acionado. O pulso elétrico pode ser acionado cada vez que o gatilho é apertado. Este pulso elétrico se origina num gerador, que tem um processador digital que controla sua intensidade, mantendo a carga dentro dos parâmetros não letais.

Alem do lançamento dos dardos a arma taser também pode ser usada de forma a causar dor pontual no local atingido. Esta não utiliza cartuchos, mas ao ser acionada e encostada no corpo do individuo, ocasionará uma dor, porém não haverá incapacitação neuromuscular.

Algumas como o taser M26 são equipadas com uma mira laser, que ajuda a não errar o alvo. Atualmente, cerca de 15 mil desse tipo estão em uso no Brasil.

Polêmica em Relação à Arma

A arma de eletrochoque é uma arma não letal que apesar de não apresentar grandes riscos para a saúde de que é atingido por ela, existem registros de mortes causadas pelo uso da arma de choque. Motivo pelo qual alguns especialistas preferem usar o termo baixa-letalidade para se referir ao potencial de mortalidade da arma.

Uma pessoa que receba quantidade exagerada de choque pode ter complicações como arritmia cardíaca e infarto no miocárdio, com possibilidade de óbito. Isso depende do organismo da pessoa, da quantidade de eletricidade empregada e do tempo que o choque age em quem o recebe. Em escala menor, uma vítima pode ter queimaduras na pele, leves alterações no sistema nervoso, dor de cabeça e amnésia passageira. Na teoria, os equipamentos não são letais, mas o uso inadequado e exagerado pode sim matar.

Os Modelos da Arma

Arma Taser Stun Gun

Stun Gun de contato: tem o formato semelhante ao de um celular e funciona com duas baterias de nove volts. Tem corpo de plástico e numa das extremidades há uma junção de seis a dez pinos metálicos agrupados em pares, por onde é descarregada a corrente elétrica. Num dos lados há um gatilho por onde é efetuado o disparo. Também possui uma chave, onde a arma pode ser ligada, desligada ou colocada em standby “modo de espera”.

Arma Taser Gun de IEM (air taser): tem o formato semelhante ao de uma pistola e funciona pelo principio de IEM (interrupção elétrica intramuscular). Esse modelo possui dois eletrodos ligados a dois fios de cobre que podem ter quatro, seis, oito ou dez metros. Este modelo diferente do de contato, imobiliza a vítima independente de sua resistência a eletricidade e da área atingida, pois devido à descarga ser intramuscular, age no sistema nervoso central, fazendo com que o alvo fique em posição fetal. Alguns modelos utilizam uma bateria descartável que permite até 120 disparos. Outros utilizam uma bateria auxiliar recarregável que o operador leva preso à cintura em uma bolsa. Ela é semelhante ao coldre de uma pistola normal.

Outros Tipos de Armas Não-Letais

Bala de Borracha

A bala de borracha é como uma bala normal, ela tem uma capsula com pólvora e uma ponta que é o que atinge o alvo. A diferença é que a ponta não é de metal como nas balas comuns, mas de borracha. No entanto, a bala de borracha pode causar ferimentos graves se atingir o rosto e até mesmo ser fatal em pontos como a garganta. Por isso, só devem ser disparados em direção as pernas.

Gás Lacrimogêneo

O gás lacrimogêneo parece uma granada e pode ser jogado com a mão ou com uma arma lançadora. Qualquer composto químico que produza lacrimejamento pode ser chamado de gás lacrimogêneo, mas a denominação “agente de controle antidisturbio” ou “gás lacrimogêneo” refere-se a um produto químico lacrimogêneo escolhido por sua baixa toxicidade e por, alegadamente, não ser fatal.

Bomba de Efeito Moral

A bomba de efeito moral é parecida com uma granada militar comum. Depois de acionada ela inflama uma mistura química que explode com grande estrondo, normalmente espalhando uma nuvem de talco. Também podem ser de outros tipos como as que explodem apenas fazendo muito barulho, as que emitem uma luz intensa para ofuscar e as que soltam fumaça.

Spray de Pimenta

O spray de Pimenta é o gás chamado de agente OC (Oleoresina Capsicum). Capsicum é um gênero de pimentas de onde é extraída a capsaicina, substância que provoca forte irritação nos olhos e nas vias respiratórias. O efeito pode durar até 40 minutos.

Bastão de choque

O bastão de choque emite descargas elétricas de até 50 mil volts, mas de baixa amperagem. O que só paralisa o agressor. Sua utilização é simples, basta encostar o aparelho na pessoa para provocar o choque.

Referências para arma taser

 

Comments

comments