Laboratório: Onde Estão os Segredos que Scarlet se Recusa a Revelar

Tempo de leitura: 16 minutos

Um laboratório é frequentemente usado para pesquisas e analises, no entanto, não é comum que esteja em uma casa. Mais incomum ainda é descobrir que naquele lugar foram criados muitos dos objetos utilizados nela.

“A Árvore Entre Mundos” é o primeiro livro de “As Histórias de Mateus” série criada para este blog. Acompanhe o capítulo abaixo. Um índice com “Um Laboratório no Porão” e os demais capítulos está na conclusão. Comece a leitura pelo primeiro capítulo “A Herança”.

Capítulo Cinco; Um Laboratório no Porão

Daniel insistiu em voltar a Porto Alegre e pedir ajuda a seus professores, mas Elena não permitiu. A viagem era longa e ele teria tempo para falar com os professores durante o ano. Nem mesmo o argumento de que nas próximas férias a casa talvez já estivesse vendida convenceu Elena em deixá-lo ir.

– Caso a casa seja vendida não há motivo para você querer entender aquele computador – afirmou Elena.

Acabou perdendo o interesse pelos livros. Para que entender algo que não será seu? Nos últimos dois dias Daniel gastou a maior parte de seu tempo no data Center. Em vez de entender como o computador funcionava preferiu deixá-lo limpo. Ele e Elena gastaram horas varrendo, tirando o pó e teias de arranha naquela sala imensa.

Daniel e Geovana passaram horas no outro dia lendo passagens daqueles livros que encontraram no porão. Não encontraram nada que os ajudasse a entender como aquele computador funcionava. Daniel já estava perdendo a esperança. Mesmo os livros que começavam sérios acabavam se perdendo na ficção científica.

Os pedreiros continuavam com a reforma. Agora quando tinham que tirar o reboco por qualquer motivo tomavam cuidado para não destruir os grossos fios abaixo dele. O que naturalmente não os agradou nem um pouco, o que antes faziam com máquinas agora era quase tudo a mão.

Naquele dia o pedreiro veio dizer que não concluiriam as reformas em um mês. O telhado também precisava de concerto. Além do buraco que havia sobre o saguão, também tinha muita telha quebrada e madeira podre que precisava ser trocada.

Os Livros Sobre a Casa

Na sexta feira Scarlet apareceu novamente quando Daniel estava varrendo um dos corredores no data Center. Elena havia acabado de sair, Daniel estava apoiado na vassoura para descansar um pouco quando ela surgiu de repente.

– Obrigado pela limpeza – disse Scarlet – está bem melhor agora.

– Ah, olá… – Disse Daniel debilmente, ainda pendurado na vassoura. – Você disse que havia livros explicando como você funciona. Nós passamos horas naquela biblioteca procurando e até agra não encontramos nada.

– Bem, então vocês não procuraram direito! – disse Scarlet – Todos os livros da biblioteca inferior foram escritos por meus criadores.

– A biblioteca inferior é aquela que só encontramos quando a Geovana acidentalmente puxou a alavanca que abria a porta de acesso a ela pensando que era um livro. – Disse Daniel voltando a varrer. – Uma ótima assistente pessoal você está me saindo!

– Você não pode esperar que algo tão importante quanto o que tem naqueles livros esteja na entrada ao alcance de todos que visitarem a casa.

– Importante? – Perguntou Daniel largando a vassoura e se aproximando de Scarlet. – O que tem de importante naqueles livros de ficção científica? Nada faz sentido.

– Fará sentido quando você aprender a ler – respondeu Scarlet.

– Ah, então agora eu é que não sei ler – resmungou Daniel indo pegar a vassoura e seguindo em direção à porta.

– Tudo bem, vou embora então! Volto quando estiver mais calmo – disse Scarlet.

– Espera – disse Daniel voltando – como faço para falar com você quando precisar?

– Basta chamar – ela respondeu desaparecendo.

O Segredo dos Livros

Já Geovana passou os dias seguintes na nova biblioteca lendo os novos livros. Seu interesse por livro de ficção foi o que a atraiu a eles há principio, mas logo percebeu que não era bem aquilo que parecia.

Naquela sexta feira quando Daniel deixou o Data Center depois de falar com Scarlet, estavam ele Elena e Michele no saguão de entrada quando Geovana saiu da biblioteca indo até um objeto decorativo ao lado da escada. Tinha o formato de uma árvore de galhos secos que terminava em pequenas estatuas de porcelana.

– Tem uma imagem de algo parecido com isso num daqueles livros – disse ela, desparafusando uma das estatuas.

Geovana abriu a estatua e dentro havia uma lâmpada parecida com as válvulas usadas nos antigos computadores.

– Como você descobriu isso? – perguntou Daniel, pois não era possível ver que a estatua podia ser aberta.

– Li um livro intitulado “A História de Molurá”, ele foi escrito como se fosse um livro de história, mostrava a ilustração de algo parecido mostrando como funciona. – respondeu Geovana – Há também alguns livros que trazem formulas complicadas que não são tão fáceis de ler.

– Para que serve? – perguntou Elena.

– Não sei para que serve – respondeu Geovana.

– Você não disse que o livro ensinava como funciona? – perguntou Daniel.

– Disse, mas esta explicação está em outro livro com formulas que eu não quero aprender. – respondeu Geovana – Sei apenas que este negócio se acende como uma lâmpada.

As Empresas Envolvidas

Daniel pensou no que Scarlet havia dito pouco antes. Se ele quisesse falar com ela bastava chamá-la, mas não queria que a primeira vez que fizesse isso fosse na presença de outras pessoas. Não sabia se ela realmente iria aparecer. No entanto, ela era a única que poderia explicar como decifrar aqueles livros, um tanto receoso resolveu arriscar.

– Scarlet? – Ele tentou um tanto inseguro. – Você pode nos ajudar a decifrar aqueles livros?

Os outros estranharam a atitude de Daniel até porque a assistente pessoal não estava ali. Demorou um pouco, mas depois de um minuto.

– Tudo que poderia dizer eu já disse. – Scarlet falou surgindo de repente no saguão. – Aqueles livros guardam informações confidenciais que pertencem à fazenda Árvore Branca e demais empresas associadas a ela.

– A fazenda Árvore Branca é nossa agora, eu a herdei de meu avô – disse Elena.

– Você veio para dar continuidade ao trabalho dele? – perguntou Scarlet – Do contrário eu sugiro que esqueçam aqueles livros.

– Bem nós viemos reformar a casa para colocá-la a venda – confessou Elena.

– Neste caso, será mais seguro para vocês se não souberem o que tem naqueles livros – informou Scarlet – Esta casa é o resultado do trabalho da vida inteira do seu avô e ele não foi o único que tornou a minha existência possível.

– Tudo bem então, se você não quer contar eu vou lá e descubro sozinho. – Disse Daniel indo em direção à biblioteca, desapontado. – Vem Geovana você já conhece alguns deles pode me ajudar.

– Você teria que ler todos os livros e ainda assim não passarão de ficção científica se você não souber decifrar os códigos. – informou Scarlet.

Decifrando os Livros

Daniel saiu decidido a começar a ler os livros, mas quando desceu a biblioteca sua convicção se transformou em desanimo ao olhar para a quantidade de livros que havia.

– Não é possível ler tudo isso numa vida inteira como foi que ele conseguiu escrever? – perguntou Daniel quando Geovana o alcançou.

– Bem, ela disse que ele teve ajuda – sugeriu Geovana. – Sente à mesa, eu vou buscar os livros para mostrar o que eu já encontrei.

Enquanto Daniel aguardava à mesa, Geovana andou de uma estante a outra pegando os livros que queria lhe mostrar. Daniel pegou um dos livros e começou a folhá-lo tentando imaginar o que a irmã poderia ter descoberto. Depois que Geovana estava com uma pilha de livros sobre a mesa, ela sentou no banco em frente ao irmão e pegou um deles.

– Lembra a tabela periódica que vimos em um dos livros outro dia? – perguntou Geovana.

– Aquela que você disse que devia ser umas dez vezes maior? – lembrou Daniel rindo.

– Baixei uma tabela normal da internet para comparar – disse Geovana sem dar atenção ao irmão. – Além dos elementos que conhecemos, existem muito novos, no entanto, há casos em que o elemento é o mesmo com pequenas mudanças como a massa ou a distribuição eletrônica.

As Descobertas de Geovana

– Que esta tabela não faz sentido eu também já percebi – disse Daniel folheando outro livro desanimado. – Mas em que ela pode nos ajudar a entender esta casa?

– Sabe aquele objeto que peguei da árvore? – Perguntou Geovana sem esperar uma resposta do irmão – Está neste livro aqui – ela prosseguiu pegando o livro “A história de Molurá” e mostrando a ilustração a ele. – Mas interessante mesmo foi como eu cheguei a esta imagem – ela pegou o livro “Uma Introdução a Química Universal” e apontou para um elemento.

– Será que esta tabela esta de alguma forma ligada a casa? – perguntou Daniel interrompendo o raciocínio de Geovana e lembrando que Scarlet disse que a biblioteca contem as respostas sobre ela.

– Talvez – disse Geovana distante e pegando outro livro. – Veja o número do elemento na tabela é o número da página neste livro, onde há um quadro do elemento e uma descrição sobre ele. O número da imagem neste outro é um dos números eletrônicos do elemento.

– Você acha que isso quer dizer alguma coisa? – perguntou Daniel – Poderia ser apenas uma estranha coincidência.

– Que se repete para outros elementos e a maioria deles que não fazem parte da tabela normal? – indagou Geovana – Também pensei nesta hipótese, por isso, comecei a procurar pelos elementos em outros livros e encontrei alguns. Depois de pesquisar um pouco pude perceber que os livros seguem um padrão.

– Se Scarlet pelo menos aceitasse nos ajudar a decifrar estes livros – disse Daniel desanimado.

O Laboratório

Geovana levantou e foi até uma estante ali perto pegar outro livro, no entanto, os livros estavam apertados e ela teve que fazer força para tirar o livro que desejava. Quando conseguiu tirá-lo, outros livros que estavam ao lado vieram juntos e caíram no chão. Só então Geovana reparou em algo que não havia percebido antes.

– Daniel vem ver isso, tem outra porta aqui – disse chamando o irmão.

– Ajude-me a puxar a estante – disse Daniel se aproximando.

Eles puxaram a estante para um lado e se aproximaram da porta, não estava trancada e puderam abri-la facilmente. Passando para o outro lado se depararam com salas de laboratório separadas por paredes de vidro. Eles entraram em uma das salas, havia mesas com equipamentos de laboratório.

– O que será que eles faziam aqui? – perguntou Geovana.

– O que faziam eu não sei, mas a descoberta deste lugar alimenta a suspeita de Cássio dizendo que quem invadiu este lugar provavelmente veio atrás de algo que estava sendo desenvolvido aqui – afirmou Daniel.

– Talvez, – disse Geovana – mas de qualquer forma não temos como saber.

– Será que não? – questionou Daniel. – Scarlet o que era produzido aqui?

O Pedido de Michele

Depois que os irmãos foram para a biblioteca Elena voltou para terminar de limpar o Data Center. Michele foi para o quarto onde deitou na cama pensativa. Ela olhou pelo quarto como se procurasse algo que não lembrara onde colocou e então seguindo o exemplo do irmão.

– Scarlet? Você pode me ouvir.

Ela teve que esperar por um longo minuto, durante o qual chegou a pensar que Scarlet não a atenderia. No entanto, a assistente pessoal não a decepcionou. Logo a imagem holográfica da jovem mulher apareceu ao lado da cama perguntando se podia ajudá-la em algo.

A menina levantou e se sentou sobre a cama, Scarlet aproximou-se e também sentou a beira da cama.

– Eu estive pensando – começou Michele – meu bisavô desapareceu nesta casa e você sempre esteve aqui… – Ela se calou por um momento, pensativa. – O que eu queria saber é se você sabe o que aconteceu com ele na noite em que desapareceu.

Scarlet ficou ali sentada tão imóvel que por um momento Michele pensou que a imagem holográfica tinha virado uma estatua. Então ela lembrou que este era um assunto que os adultos evitavam falar com as crianças. Mas Scarlet não era um adulto, apesar de parecer uma mulher Scarlet era um computador. Será que ela entenderia este tipo de coisa?

– A casa foi invadida por bandidos e eles feriram meu bisavô porque ele tentou te proteger? – como a resposta de Scarlet não veio Michele fez nova pergunta desejando que nem tudo o bisavô tivesse ensinado a ela.

– Isso aconteceu faz muito, muito tempo – começou Scarlet finalmente levantando da cama e voltando a demonstrar alguma reação. – O que aconteceu aqui é confidencial e não pode ser revelado.

– Mas você não pode…

– Desculpa, tenho que ir seu irmão está-me chamando.

A Função do Laboratório

Num instante a imagem da assistente pessoal estava no corredor diante de Daniel e Geovana.

– Os objetos desta casa – ela respondeu.

– Você está dizendo que tudo o que era utilizado na casa eles produziam num laboratório próprio? – perguntou Geovana sem acreditar.

– Não tudo, mas alguns objetos tiveram certos elementos acrescentados ao material do qual são feitos – disse Scarlet.

– Que elementos são estes e qual a necessidade disto? – perguntou Geovana.

– Desculpe, mas eu já falei demais – disse Scarlet. – Tenho que pedir uma coisa muito importante e preciso que vocês me obedeçam. Este laboratório tem produtos químicos nocivos à saúde ou que causam explosão, portanto até que encontrem alguém que saiba com o que esta lidando, para o bem de vocês, afastem-se deste lugar.

– Sendo este lugar perigoso é mais um motivo para nos dizer para que serve, nós vivemos aqui temos o direito de saber – disse Geovana enquanto saiam do laboratório. Eles fecharam a porta e empurraram a estante de volta ao lugar.

– Tudo o que vocês precisam saber eu já falei, – disse Scarlet – agora, por favor, voltem lá para cima e esqueçam que este lugar existe.

– Tudo bem, vamos! – concordou Daniel – Estava mesmo ficando cansado chega por hoje.

Os Diversos Aspectos de Scarlet

Fazia algum tempo que Geovana queria perguntar uma coisa e agora aproveitando a presença de Scarlet. – Se você não é um fantasma então aquele gato que apareceu lá no meu quarto também não era. O gato faz parte do computador assim como você?

– Aquele gato era eu – respondeu Scarlet subindo a escada com eles. – Quando me construiu seu bisavô concluiu que eu não era uma pessoa por isso não havia a necessidade de me manter presa à forma humana. Só assumo a forma humana porque é mais fácil de me comunicar, mas posso assumir a forma de qualquer criatura.

Scarlet se jogou no chão retomando a forma do gato visto por Geovana no outro dia, quando passavam pela biblioteca. Um instante depois um leão seguia para o saguão com um rugido, então uma águia subiu voando e contornou o lustre, quando voltou ao chão era novamente Scarlet.

Neste momento, Michele bateu palmas e gritou empolgada e admirada com a demonstração de Scarlet. Ela e Elena vinham descendo as escadas.

Uma Visita para o fim de Semana

Um táxi parou em frente à mansão e dele saiu um homem carregando uma mala. Ele se aproximou da casa e tocou a campainha. Elena veio abrir a porta.

– Pai. – Gritou Michele correndo até ele ao vê-lo do saguão.

Diego pegou a menina no colo e entrou na casa com ela. Scarlet agora uma coruja havia se empoleirado sobre o corrimão do andar superior.

– Desde quando vocês tem uma coruja? – perguntou Diego.

Geovana olhou ao redor estranhando a pergunta – Ah, não é Scarlet – respondeu ela.

Uma assistente pessoal – completou Daniel – o computador da casa.

– Onde está o corredor? Vocês já concertaram? – perguntou Diego.

– O corredor era aquele lá em cima – disse Elena apontando para o corredor sobre o saguão – Não havia como passar, nós mesmos tiramos as tabuas no dia em que chegamos. Pedi aos pedreiros que rebocassem a parede para tapar aquela coisa horrível. Esta parte do telhado também já foi consertada.

– Só hoje eu consegui uma folga para vir visitá-los, longe como é não vale a pena vir no sábado para voltar no domingo – disse Diego. – Esta tudo bem?

– Pai, tem um computador lá em cima que se conecta a casa toda – disse Michele – além disso, há duas bibliotecas, uma delas no porão…

–… Onde também há um laboratório – completou Geovana – encontramos agora há pouco.

– Um laboratório aqui na casa? – perguntou Diego – Que estranho!

– Mais estranho ainda é o motivo do laboratório estar ali – disse Daniel – Scarlet diz que os objetos desta casa foram produzidos ali.

Conclusão

Conforme novos capítulos forem produzidos eles serão listados aqui, confira abaixo os que já saíram.

As Histórias de Mateus

A Árvore Entre Mundos

Índice

A Herança

Arrumando a Casa

A Noite do Fantasma

Segredos da Biblioteca

Um Laboratório no Porão

Conheça outros livros do autor.

A Fortaleza Subterrânea

Recomeço

Imagem Pixabay.

Comments

comments