Mosassauro: Conheça o Animal que deu Nome ao Grupo Mosassauridae

Tempo de leitura: 7 minutos

O Mosassauro foi um réptil pré-histórico da família Mosassauridae, que eram os principais predadores dos oceanos do final do cretáceo. Estes grandes répteis marinhos contêm um total de 38 gêneros conhecidos.

O grupo não está relacionado proximamente com os dinossauros, plesiossauros ou ictiossauros. Eles pertencem antes à ordem dos escamados que inclui as cobras e os lagartos.

Os mosassauros provavelmente evoluíram de um extinto grupo de lagartos aquáticos, conhecidos como aigialossauros no início do cretáceo. Durante os últimos 20 milhões de anos do período cretáceo; com a extinção dos ictiossauros e plesiossauros, os mosassauros tornaram-se os predadores marinhos dominantes. Eles foram extintos durante o evento de extinção em massa ocorrido no final do cretáceo.

Seus primeiros restos fósseis foram descobertos em uma pedreira de calcário, em Maastricht, no rio Mosa, em 1784.

Este artigo é sobre o Mosassauro um animal marinho pré-histórico continue lendo e entenda mais sobre:

Descoberta dos Mosassauros

História Evolutiva dos Mosassauros

Descrição

Descoberta dos Mosassauros

Mosassauro Globidens
[GFDL (http://www.gnu.org/copyleft/fdl.html) or CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons
A primeira descoberta de uma caveira parcial de fósseis de mosassauro foi divulgada em 1764, encontrado em uma galeria subterrânea de uma pedreira de calcário no monte São Pedro, perto da cidade holandesa de Maastricht, precedeu quaisquer grandes descobertas de fósseis de dinossauros, mas permaneceu pouco conhecida.

No entanto, um segundo achado de uma caveira parcial, atraiu a atenção da Era do Iluminismo, para a existência de animais fossilizados, que eram diferentes de qualquer criatura viva conhecida.

Quando o espécime foi descoberto entre 1770 e 1774 Johann Leonard Hoffmann, cirurgião e colecionador de fósseis, correspondeu sobre ele com os cientistas mais influentes de sua época, tornando o fóssil famoso. O dono, no entanto, era Godding, um cânone da catedral de Maastricht.

Quando as forças revolucionárias francesas ocuparam Maastricht em 1974, o fóssil foi encontrado e levado para Paris.

Depois de ter sido interpretado como um peixe, um crocodilo e um cachalote; o primeiro a entender suas afinidades com lagartos foi o cientista holandês Adriaan Gilles Camper em 1799.

Em 1808, Georges Cuvier confirmou essa conclusão, embora o fóssil de Maastricht não tenha sido chamado de mosasaurus até 1822 e não deu nome completo da espécie mosasaurus hoffmannii até 1829.

História Evolutiva dos Mosassauros

Mosassaurus Plotosaurus
[GFDL (http://www.gnu.org/copyleft/fdl.html) or CC BY 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/3.0)], via Wikimedia Commons
Muitos pesquisadores acreditam que as cobras compartilham um ancestral marinho comum com o Mosassauro. Uma sugestão de Edward Drinker Cope que cunhou o termo Phytonomorpha em 1869, para uni-los.

A ideia ficou latente por mais de um século até ser revivida nos anos 90. A descoberta recente de Najash rionegrina, uma serpente fossorial da América do Sul, lançou dúvidas sobre a hipótese da origem marinha.

Afinal, Najash tinha pernas bem desenvolvidas, um sacro e uma cintura pélvica. A morfologia de Najash estabelece uma origem de se enterrar, para o corpo do mosassauro e não uma origem marinha; significando assim que o mosassauro viria após Najash.

Prováveis Ancestrais do Mosassauro

Najash viveu há 90 milhões de anos e é encontrada nos sedimentos de um antigo sistema flúvial trançado chamado Candeleros. Esta formação na argentina é famosa por sua diversidade de fauna terrestre.

Descrever o mosassauro em termos de uma cobra ou lagarto monitor é uma simplificação excessiva de suas relações cladísticas. Lagartos monitor incluem o dragão de Komodo. O mosassauro é um grupo muito grande unido de algumas características-chave, mas ainda há grande disputa quanto a sua relação com os escamados (cobra) e os veranoides (lagartos monitorados).

Entretanto um fóssil, o Dallasaurus turneri, é considerado um exemplo de ligação entre os aigialossaurídeos mais ancestrais e seus descendentes, os mosassauros. Dallasaurus é do final do Cretáceo, América do Norte e é um dos dois mais antigos mosassauróides conhecidos.

Dallasaurus era mais semelhante ao Dragão de Komodo vivo, tinha menos de 3 pés de comprimento e era semi-aquático. Existem caracteres pertencentes a aigialossaurídeos e mosassauros presentes neste animal.

O Mosassauro era distintamente hidropédico, tendo pás em seus membros. Embora os membros Dallasaurus fossem terrestres e não hidropédicos, o Dallasaurus tinha muitas características esqueléticas compartilhadas, como o vertebrado torácico alongado.

Analises Filogenéticas

Uma analise filogenética conduzida por Bell e Polcyn indicou que os mosassaurideos hidropédicos não formavam um clado que não incluísse também os taxa plesiopedais, como Dallasaurus, Yaguarasaurus, Russellosaurus, Tethysaurus, Haasiasaurus e Komensaurus.

A analise indicou que a condição do membro hidropedal evoluiu independentemente em três grupos diferentes de mosassauros; Halisaurinae, Mosasaurinae, e o grupo contendo as subfamílias Tylosaurinae e Plioplatecarpinae.

O resultado deste estudo filogenético foi confirmado principalmente pelas analises conduzidas por Caldwell e Palci em 2007 e Leblanc, Caldwell e Bardet em 2012.

Análise conduzida por Makádi, Cadwell e Ösi em 2012 indicou essa condição de membro hidropeldal evoluiu independentemente em dois grupos de mosassauros; em Mosasaurinae e no clado que contém Halisaurinae entre outros.

Conrad por outro lado, recuperou mosassauros hidropédicos formando um clado que excluía seus familiares plesiopedais.

Se a hipótese de Bell e Polcyn de 2005 está correta, então os mosassauros no sentido tradicional da palavra, ou seja, lagartos que desenvolveram membros parecidos com remos e irradiaram para ambientes aquáticos no final do Mesozóico, sendo extintos no final daquela época, são na verdade polifiléticos.

Bell e Polcyn, em 2005, mantiveram Mosasairidae monofiléticos, enquanto Caldwell, em 2012, sugeriu restringir Mosasauridae apenas ao gênero Mosassauro e seus parentes hidropedais mais próximos.

A exata posição filogenética do clado contendo mosassaurídeos e seus parentes mais próximos dentro dos escamados permanece incerta.

Descrição

Mosassauro Platecarpo
[GFDL (http://www.gnu.org/copyleft/fdl.html) or CC BY 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/3.0)], via Wikimedia Commons
O mosassauro respirava ar e era um exímio nadador. No entanto, estavam bem adaptados a viver nos mares quentes e rasos do interior, predominantes no período cretáceo superior. Eram carnívoros, sendo que o menor exemplar conhecido media cerca de 3,5 metros de comprimento e o maior 17 metros. Mosasaurus Hoffmannii chegaram a pesar até seis toneladas.

Mosassauros tinham um formato de corpo semelhante ao dos lagartos modernos, mas eram mais alongados e aerodinâmicos para nadar. Os ossos de seus membros foram reduzidos em comprimento e suas pás foram formadas por correias entre os dedos longos e dedos dos pés. Suas caudas eram largas ajudando na locomoção.

Apesar dos muitos restos de mosassauro coletado em todo o mundo são poucos os espécimes que mantém impressões de escama fossilizadas.

Uma descoberta da Jordânia mostrou que os corpos de mosassauros, bem como as membranas entre os dedos das mãos e dos pés, estavam cobertos com pequenas escamas em forma de losango que se sobrepunham semelhantes as das cobras.

Conclusão

O Mosassauro está entre os primeiros animais pré-históricos descobertos e seus fósseis levantaram a hipótese de animais extintos. Estes répteis marinhos viveram no final da época dos dinossauros tendo se extinguido com eles.

O Mosassauro vivia em mares rasos do cretáceo, tendo que subir para respirar ele raramente se afastava para regiões mais profundas.

Os Mosassauridae tiveram um período bem mais curto que os dinossauros, no entanto, vários gêneros são conhecidos.

Referências

  1. Wikipédia, Mosasaur, disponível em: <https://en.wikipedia.org/wiki/Mosasaur>.
  2. Wikipédia, Mosassauro, disponível neste Link.
  3. Fossilera, Mosassaurus e Mosassauro, disponível em: <https://www.fossilera.com/pages/about-mosasaurs>.

Imagens e Wikimedia Commons.