Notebook: Saiba Como Ele Surgiu e os Tipos Disponíveis no Mercado

Tempo de leitura: 16 minutos

Atualmente existem vários tipos de notebook produzidos em inúmeros formatos e tamanhos por diversas empresas. Uma diversificação que vem desde sua origem que assim como os celulares passou por diferentes formas e tamanhos até alcançar a aparência moderna.

Este artigo trás um pouco da história dos notebooks continue lendo e saiba mais sobre:

A História dos Notebooks

O que São os Notebooks?

Tipos de Notebooks

Hardware de Computador Pessoal

A História dos Notebooks

Quando o computador pessoal (PC) tornou-se viável em 1971, logo surgiu a ideia de um computador pessoal portátil. Um “manipulador de informação pessoal e portátil” foi imaginado por Alan Kay na Xerox PARC em 1968. Ele o descreveu em seu artigo de 1972 como o Dynabook.

O SCAMP foi demonstrado em 1973. Este protótipo foi baseado no processador IBM PALM. O IBM 5100, primeiro computador portátil disponível comercialmente, surgiu em setembro de 1975. Ele foi baseado no protótipo do SCAMP.

Como as máquinas da CPU de 8 bits se tornaram aceitas, o número de portáteis aumentou rapidamente. O primeiro computador portátil de tamanho de laptop foi o Epson HX-20 inventado e patenteado por Yukio Yokozawa de Suwa Seikoshaem julho de 1980; introduzido no show de computador COMDEX em Las Vegas pela empresa Seiko Epson em 1981 e lançado em 1982.

Ele tinha tela LCD, uma bateria recarregável e uma impressora do tamanho de uma calculadora, em um chassi de 1,6 kg (3,5 ib) o tamanho de um notebook A4. Foi descrito como um computador “laptop” e “notebook” em sua patente.

O microcomputador portátil Portal da empresa francesa R2E Micral apareceu em setembro de 1980 no show Sicob em Paris. Foi baseado em um processador Intel 8085, de 8 bits, com clock de 2 MHz.

Ele foi equipado com um Ram central de 64k; enquanto que o teclado tina 58 teclas alfanuméricas e 11 teclas numéricas (blocos separados); uma tela de 32 caracteres, um disquete; capacidade = 140.000 caracteres de uma impressora térmica; velocidade de 28 caracteres / segundo, um canal assíncrono e uma fonte de alimentação 220V.

Novas Tecnologias

O Osborne 1, lançado em 1981, era um computador que usava o Zilog Z80 e pesava 11,5 kg. Não tinha bateria, uma tela de tubo de raios catódicos 5 pol. e unidades de disquete de densidade única de 5,35 pol.

A partir de 1983, várias novas técnicas de entrada foram desenvolvidas e incluídas em notebooks, como o touchpad. Algumas CPUs foram projetadas para usar energia mínima, para aumentar a duração da bateria de computadores portáteis. Eram suportados por recursos dinâmicos de gerenciamento de energia.

Os monitores atingiram resolução de 640 x 480 em 1988. De fato, as telas coloridas começaram a se tornar uma atualização comum em 1991; com aumentos na resolução e no tamanho da tela ocorrendo com frequência até a introdução de notebooks de 17 polegadas em 2003, para ser usado em portáteis.

Encorajado pela introdução de drives de 3,5 polegadas no final dos anos 80, tornou-se comum em notebooks começando com a introdução de drives de 2,5’ e menores em 1990. As capacidades ficaram atrás de unidades de desktop fisicamente maiores.

O que São os Notebooks?

Um laptop, também chamado de notebook é um computador pessoal pequeno e portátil. Projetado para ser transportado e utilizado em diferentes lugares com facilidade. Os notebooks são dobráveis para transporte.

Possui uma fina tela de LCD ou LED, um teclado alfanumérico no interior da tampa inferior e mouse; geralmente um touchpad, área onde se desliza o dedo para movimentar a seta na tela. Equipado com uma unidade de disco rígido, portas para conectividade via rede local, gravadores de CD/DVD e portas USB, processador e memória.

Embora no começo houvesse uma distinção ente laptops e notebooks, sendo o primeiro maior e mais pesado que o segundo, a partir de 2014, muitas vezes não há mais diferença.

Os notebooks são usados em uma variedade de atividades, como no trabalho, na educação, em jogos, navegação na internet, para uso pessoal de multimídia e computador doméstico em geral.

A maioria dos notebooks modernos possui webcams e microfones integrados enquanto muitos também têm telas sensíveis ao toque. Podem ser alimentados por uma bateria interna ou por uma fonte de alimentação externa de um adaptador AC.

As especificações de hardware, como a velocidade do processador e a capacidade de memória, variam muito entre diferentes tipos, marcas, modelos e preços.

Computadores portáteis, que mais tarde se transformaram em notebooks modernos, foram considerados um pequeno nicho de mercado. Como computadores portáteis evoluíram para o notebook moderno, eles se tornaram amplamente utilizados para uma variedade de propósitos.

Conectividade

Atualmente, muitos notebooks são dotados de adaptadores de rede wireless, que possibilitam a conexão a redes de computadores sem fio. Essas redes podem ser instaladas em escritório e já é muito comum encontrá-las também em residências.

Com os adaptadores wireless, os usuários de notebooks podem acessar a internet em diversos estabelecimentos, tais como restaurantes e aeroportos, sem a necessidade de conectar fios, desde que estes locais ofereçam o serviço. O acesso à rede sem fio também pode ser controlada, sendo que o internauta somente poderá se conectar a rede através do uso de senhas ou cartões.

Tipos de Notebooks

Desde a introdução dos computadores portáteis no final dos anos 70, sua forma mudou bastante, gerando uma variedade de subclasses visual e tecnologicamente diferentes.

Notebook Tradicional

A forma do notebook tradicional é uma concha; com uma tela em um dos seus lados e um teclado no lado oposto, de frente para a tela. Ele pode ser facilmente dobrado para economizar espaço durante a viagem. A tela e o teclado estão inacessíveis enquanto estão fechados.

Os dispositivos nesse formato são comumente chamados de laptop tradicional ou notebook. Especialmente se tiverem um tamanho de tela de 11 a 17 polegadas e executarem um sistema operacional completo como o Windows 10, macOS ou Linux.

Subportáteis

Subportátil é um notebook projetado e comercializado com ênfase na portabilidade (tamanho pequeno, baixo peso e maior duração da bateria). Os subportáteis são menores e mais leves que os notebooks padrão. Pesando entre 0,8 e 2 kg, com duração de bateria superior a 10 horas.

O Que é Netbook?

É um nome genérico dado a uma categoria de laptops, pequenos, leves, sem legado e baratos lançados em 2007. Os netbooks competem no mesmo segmento de mercado de celulares e chromebooks.

Na sua concepção no final de 2007, como notebooks menores otimizados para baixo peso e baixo custo. Os netbooks omitiam certas características como a unidade óptica. Apresentavam telas e teclados menores e ofereciam menor poder computacional quando comparados a laptop de tamanho normal.

Ao longo de sua evolução, os netbooks variaram de tamanho, de menos de 5’ na diagonal da tela até 12’.

No curto período desde a sua aparição, os netbooks cresceram em tamanho e recursos. Além disso, convergiram com laptops e subportáteis menores e mais leves.

Em 2011, a crescente popularidade dos tablets; um formato diferente, mas com recursos de computação aprimorados e menor custo de produção; levou a um declínio nas vendas de netbooks.

Na extremidade superior do espectro de desempenho, ultrabooks, portáteis ultra-leves com teclado e tela tradicionais foram revolucionados pelo MacBook Air de 11,6 polegadas, que fez menos sacrifícios de desempenho, embora a um custo de produção maior.

Em resposta ao sucesso do MacBook Air a Intel promoveu o ultrabook como um novo padrão de alta mobilidade. Ele foi aclamado por alguns analistas como tendo sucesso onde os netbooks falharam.

Muitas empresas produtoras de netbooks pararam de produzi-los até o final de 2012. Muitos produtos de netbooks foram substituídos no mercado por chromebooks; uma variação do conceito de computador de rede na forma de um netbook.

Conversível, hibrido, 2 em 1

A última tendência de convergência tecnológica na indústria de computadores portáteis gerou uma ampla gama de dispositivos. Ele combinaram características de vários tipos antes separados.

Os híbridos, conversíveis e 2 em 1s surgiram como dispositivos que compartilham características de tablet e notebook. Todos esses dispositivos têm uma tela sensível ao toque projetada para permitir que os usuários trabalhem em um modo tablet; usando gestos multi-touch ou uma caneta stylus / digital.

Conversíveis são dispositivos com a capacidade de ocultar um teclado de hardware. Os teclados em tais dispositivos podem ser virados, girados ou deslizados para trás da parte traseira do chassi, transformando-se assim de um notebook em um tablet. Os híbridos possuem um mecanismo de separação do teclado e devido a esse recurso, todos os componentes críticos estão situados na peça com o monitor.

Os 2 em 1 podem ter um formato híbrido ou conversíveis, muitas vezes apelidado de separadores 2 em 1 e conversíveis 2 em 1, mas são diferenciados pela capacidade de executar em sistema operacional de desktop, como o Windows 10.

Notebook Robusto

Um notebook robusto foi projetado para operar de forma confiável em condições adversas de uso como; fortes vibrações, temperaturas extremas e ambientes úmidos ou empoeirados. Geralmente são projetados do zero, em vez de serem adaptados de modelos de notebooks comuns. Notebooks robustos são mais volumosos, mais pesados e muito mais caros que os comuns e, portanto, raramente são vistos no uso regular do consumidor.

Os recursos de design encontrados em notebooks robustos incluem uma cobertura de borracha sob as teclas do teclado; tampas de porta e conector selada; resfriamento passivo; telas muito brilhantes de fácil leitura a luz do dia; estojos e estruturas feitas de ligas de magnésio muito mais fortes que os plásticos encontrados em notebooks comerciais; e dispositivos de armazenamento de estado solido ou unidades de disco rígido montadas contra choque para suportar vibrações constantes.

Costumam serem usados por serviços de segurança pública, militares, serviços públicos, técnicos de serviço de campo, construção, mineração e pessoal de perfuração de petróleo.

Notebook de negócios

Um notebook de negócios é projetado para locais de trabalho. Ele é reforçado com recursos voltados para o consumidor, como som de alta resolução removido para permitir que o dispositivo seja usado para produtividade pura.

Hardware de Computador Pessoal

Os componentes básicos dos notebooks funcionam de forma idêntica as suas contrapartes no desktop. Eles eram miniaturizados e adaptados para uso móvel, embora os sistemas de desktop usem cada vez mais as mesmas partes menores e de menor consumo de energia que foram originalmente desenvolvidas para uso móvel.

As restrições de design de energia, tamanho e resfriamento dos notebooks limitam o desempenho máximo das peças do notebook em comparação com os componentes de desktop, embora essa diferença tenha se estreitado cada vez mais.

Em geral os componentes do notebook não se destinam a ser substituíveis ou atualizáveis, com exceção dos componentes que podem ser desconectados, como uma bateria ou uma unidade de CD / CDR / DVD.

Essa restrição é uma das principais diferenças entre notebooks e computadores de mesa, porque os grandes gabinetes usados em desktop são projetados para que novas placas mãe, discos rígidos, placa de som, RAM e outros componentes possam ser adicionados.

Unidade Central de Processamento

A unidade central de processamento (CPU) de um notebook possui recursos avançados de economia de energia e produz menos calor do que um projetado exclusivamente para uso em desktop. As CPUs do notebook têm dois núcleos de processador, embora os modelos de quatro núcleos estejam disponíveis.

Para baixo preço e desempenho convencional, não há mais uma diferença de desempenho significativo entre CPUs notebook e desktop, mas no high-end, os processadores de mesa mais rápidos de quatro a oito núcleos ainda superam substancialmente os processadores de notebook de quatro núcleos mais rápidos.

O gasto de consumo de energia massivamente mais alto e geração de calor; os processadores de notebook mais rápidos atingem 56 watts de calor, enquanto os processadores de desktop mais rápidos atingem 150 watts.

Muitos notebooks têm CPUs removíveis, embora isso tenha se tornado menos comum nos últimos anos, uma vez que a tendência tem sido para modelos mais finos e mais leves. Em outros notebooks a CPU é soldada na placa mãe e não é substituível; isto é quase universal nos ultraboks.

Unidade de Processamento Gráfico

Na maioria dos notebooks , uma unidade de processamento gráfico (GPU) é integrada à CPU para economizar energia e espaço. Isto foi introduzido pela Intel com o Core i-series de processadores moveis em 2010. Processadores similares de unidade de processamento acelerado (APU) da AMDno final daquele ano.

Antes disso, as máquinas de menor porte tendiam a usar processadores gráficos integrados ao chipset do sistema, enquanto as máquinas mais sofisticadas tinham um processador gráfico separado.

No passado, os notebooks sem um processador gráfico separado eram limitados em sua utilidade para jogos e aplicativos profissionais envolvendo gráficos 3D, mas os recursos de gráficos integrados por CPU convergiram com os processadores gráficos dos últimos anos.

Computadores portáteis mais sofisticados destinados a jogos ou trabalhos 3D profissionais ainda vem com processadores gráficos dedicados e em alguns casos até mesmo duplos, na placa mãe ou como na placa de expansão interna.

Memória

A maioria dos notebooks usa os módulos de memória SO-DIMM (módulo de memória dual in-line), já que têm cerca de metade do tamanho dos DIMMs de desktop.

A maioria dos notebooks de médio porte é equipada de fábrica com 4 a 6 GB de RAM. Eles podem ter memória soldada na placa mãe para economizar espaço. O que permite que o notebook tenha um design de chassi mais fino. A memória soldada não pode ser atualizada.

Armazenamento Interno

Os notebooks tinham uma unidade de disco rígido (HDD) como armazenamento principal não volátil, mas estes se mostraram ineficientes para uso em dispositivos móveis devido ao alto consumo de energia, produção de calor e presença de portáteis moveis, o que pode causar danos a ambos a unidade em si e os dados armazenados quando um notebook está instável fisicamente.

Com o advento da tecnologia de memória flash, a maioria dos laptops de médio a alto porte optou por SSDs (drives de estado sólido) mais compactos, eficientes no consumo de energia e rápidas. O que eliminou o risco de corrupção de dados e unidade causada pelos impactos físicos de um notebook.

Alguns notebooks têm espaço muito limitado no SSD instalado. Em vez disso, dependem da disponibilidade de serviços de armazenamento em nuvem para armazenamento de dados do usuário.

Muitos notebooks também incorporam um leitor de cartão que permite o uso de cartões de memória como os usados para câmeras digitais, que são normalmente cartões SD ou micro SD. Isso permite que os usuários baixem imagens digitais de um cartão SD em um notebook; permitindo que eles excluam o conteúdo do cartão SD para liberar espaço para tirar novas fotos.

Bateria e Fonte de Alimentação

Notebooks da era 2016 usam bateria de íon de lítio, com alguns modelos mais finos usando a tecnologia de polímero de lítio mais plana. Essas duas tecnologias substituíram em grande medida as antigas baterias de hidreto metálico de níquel. A duração da bateria é altamente variável por modelo e carga de trabalho e pode variar de uma hora a quase um dia.

A bateria de um notebook é carregada usando uma fonte de alimentação externa que é conectada a uma tomada de parede. A fonte de alimentação produz uma tensão CC na faixa de 7,2 a 24 volts. Geralmente é externa e conectada ao notebook por meio de um cabo de conector DC.

Na maioria dos casos, ele pode carregar a bateria e alimentar o notebook simultaneamente. Quando a bateria está totalmente carregada, o notebook continua a funcionar com energia fornecida pela fonte de alimentação externa, evitando o uso da bateria.

Refrigeração

O calor residual da operação é difícil de remover no espaço interno compacto de um notebook. Os primeiros notebooks usavam dissipadores de calor colocados diretamente nos componentes a serem resfriados, mas quando esses componentes quentes estão no interior do dispositivo, um grande duto de ar é necessário para dissipar o calor.

Em vez disso, notebooks modernos dependem de tubos de calor para mover rapidamente o calor residual para as bordas do dispositivo, para permitir um sistema de resfriamento, ventilador e dissipador de calor muito menor e compacto.

O calor residual é eliminado do operador do dispositivo em direção à parte traseira ou as laterais do dispositivo.

Conclusão

A tecnologia dos notebooks já se iguala a dos computadores de mesa. Os modelos de notebooks atendem aos perfis mais variados de usuários, isto se reflete no crescimento do mercado. Pela primeira vez, a venda de computadores portáteis supera a dos desktops no terceiro trimestre de 2008. A tendência dos notebooks é incorporar cada vez mais tecnologia e se tornarem menores e mais leves.

Referências:

  1. Wikipédia, Laptop, disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Laptop>.
  2. Wikipédia, Netbook, disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Netbook>.
  3. Wikipédia, Laptop, disponível em: <https://en.wikipedia.org/wiki/Laptop>.
  4. Rodrigo Prada, Tecmundo, A História dos Notebooks, disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/internet/2231-a-historia-dos-notebooks.htm>.

Imagens Pixabay.

Comments

comments