Viagem no Tempo, Teorias Cientificas e Algumas Abordagens do Tema no Cinema e na Literatura

Tempo de leitura: 11 minutos

A possibilidade de se fazer uma viagem no tempo, é um tema que intriga e inspira muitas pessoas. O que vai desde as pesquisas científicas, até as grandes produções literárias e cinematográficas, que abrem a nossa imaginação a um mundo de possibilidades. Mas, seria possível viajar no tempo? Isso é o que vamos descobrir nesse artigo, portanto continue lendo, nele vamos falar sobre.

Mas, o que é o Tempo?

Dá para Viajar para o Passado?

Por que Ainda Não Viajamos no Tempo?

Histórias de Viajantes do Tempo

Viajantes do Tempo no Cinema

Quais Seriam as Implicações de Viajar no Tempo?

Parece interessante o que vem por aí? Então compartilhe nas redes sociais.

Compartilhe no Facebook

Compartilhe no Twitter

Compartilhe no Google Plus

Compartilhe no Linkedin

Mas, o que é o Tempo?

Relógio Antigo Marcando única viagem no tempo possível

Antes de descobrirmos se viagens no tempo são realmente possíveis, precisamos primeiramente definir o que é o tempo. Quem nos ajuda a compreender esse conceito é Albert Einstein, em sua Teoria da Relatividade. Ao comprovar que o tempo não é absoluto, ou seja, 1 segundo na Terra, não é igual em qualquer parte do Universo. Einstein chegou a essa conclusão, através de seus estudos sobre a velocidade da luz, que é uma constante.

Ao perceber que o tempo é, na verdade, a velocidade das partículas e moléculas, suas descobertas mostraram que, quanto maior a velocidade, maior será também a dilatação temporal, porém, nesse caso, não se viaja para o futuro, apenas as partículas do objeto / pessoa, ficaram mais lentas do que estariam em condições normais. Logo, se uma nave conseguir acelerar suas partículas ao ponto de viajar na velocidade da luz, (como vemos inúmeras vezes a espaçonave Millennium Falcon, do Han Solo, fazer na saga Star Wars), o tempo passará mais devagar para a nave e os seus tripulantes.

Em sua teoria da relatividade geral, Einstein também descobriu que, quanto maior é o campo gravitacional de um local, mais devagar será a passagem do tempo nesse local em relação a outro ponto do universo, com campo gravitacional diferente. Para Einstein, a gravidade é como um grande buraco negro que “engole” tudo o que se aproxima. Logo, se alguém ou algum objeto conseguir orbitar essa zona sem ser engolido pela gravidade, o tempo então passará mais devagar para essa pessoa.

Dá para Viajar para o Passado?

Teoria sobre viagem no tempo

Em suas Teorias, Einstein sugere que só se pode viajar para o futuro, e nunca para o passado. Mesmo não sendo constante ou fechado, deve haver alguma proteção cronológica que impede que viajemos ao passado, ou, já teríamos recebido visita de turistas do futuro.

Por outro lado, existe também a ideia, de que as viagens para o passado, só seriam possíveis após a construção de uma máquina do tempo. Na limitação de que a volta temporal só seria feita até o momento de invenção dessa máquina.

São os chamados “buracos de minhoca” em que, se acelera uma nave à velocidade da luz no início desse “túnel” e, ao final, desacelera à velocidade normal do ambiente. Segundo a interpretação de Stephen Hawking, só poderíamos viajar até a época em que o primeiro buraco de minhoca foi criado.

Logo, teoricamente, a “viagem no tempo” só poderia ser feita para o futuro, através do desaceleramento das atividades das partículas. Fazendo com que o tempo passe “mais devagar” que em outros lugares ou, na mesma interpretação, que o objeto em questão não sinta a passagem do tempo.

É o que acontece quando congelamos carnes no freezer, por exemplo. Em que a carne não sente a mesma passagem do tempo quando está congelada, do que sentiria em temperatura ambiente.

Por que Ainda Não Viajamos no Tempo?

Viagem no Tempo

Mesmo com todas essas teorias que comprovam a possibilidade de se viajar para o futuro, deve-se considerar o aparato tecnológico que possibilitaria a aplicação dessas teorias. A verdade é que não é nem um pouco fácil acelerar um ser humano para a velocidade da luz ou fazê-lo orbitar próximo a um buraco negro.

Já existem tecnologias que aceleram partículas a essa velocidade, porém, essas tecnologias demandam uma quantidade imensa de energia. Quando aplicadas a um ser humano, exigiriam uma energia tão grande que provavelmente explodiria o próprio experimento. Quanto mais próximo se chega à velocidade da luz, mais energia é demandada.

No que concerne à manipulação dos campos gravitacionais – que também já é possível tecnologicamente – essa possibilidade também não é nem um pouco fácil de reproduzir. A outra possibilidade, que é a de estarmos próximos a um astro denso o suficiente para criar esse campo gravitacional também não é nada fácil. Uma vez que o buraco negro mais próximo da Terra, está a nada menos que mil anos-luz de distância.

Em uma escala muito menor, hoje já viajamos no tempo, através dos astronautas que orbitam a Terra em uma Estação Espacial. A uma velocidade de 30 mil km/h sofrendo sim, um desfasamento temporal. O recorde de “viagem no tempo” é o do cosmonauta russo Sergei Avdeyev, ele permaneceu 748 dias em órbita.

Histórias de Viajantes do Tempo

Viagem-no-Tempo

Para além das teorias científicas, existem na literatura, no cinema e na nossa história, vários casos de pessoas que afirmaram serem viajantes do tempo, vindos do futuro, com situações inexplicáveis e até mesmo criações engraçadas. Conheça algumas das histórias mais icônicas sobre viagem no tempo:

  • O viajante operador da bolsa de valores: o jornal Weekly World News trouxe a divertida história de um “viajante no tempo” que investiu US$ 800, conseguindo acumular cerca de US$ 350 milhões em apenas duas semanas com investimentos totalmente inesperados.
  • O caso de John Titor: entre 2000 e 2001, um homem chamado John Titor entrou em um fórum de discussões na internet dizendo-se viajante do ano de 2036. Descrevendo, inclusive, sua máquina do tempo que até hoje ninguém conseguiu reproduzir.
  • O homem que encontrou o seu “eu” do futuro: a companhia de seguros sueca AMF produziu uma campanha de marketing viral, em que um homem viaja por um buraco de minhoca e encontra no futuro, um velho com a mesma tatuagem que a sua. Temendo que ninguém acreditasse, resolveu filmar a sua experiência.

Viajantes do Tempo no Cinema

Em um tema repleto de possibilidades de criação, o cinema está recheado de filmes sobre viagem do tempo. Seja para o passado, seja para o futuro, muitos deles se tornaram grandes clássicos:

Planeta dos Macacos

Essa produção chegou ao cinema em 1968. Conta a história de um grupo de astronautas que viaja pelo espaço e acredita ter aterrissado em um planeta semelhante à Terra, porém, dominado pelos macacos. Somente ao final do filme que o último sobrevivente do grupo descobre não ter viajado para outro lugar, mas para o próprio planeta Terra – no futuro.

O Exterminador do Futuro

Essa grande produção que consagrou Arnold Schwarzenegger, conta a história de um robô enviado do futuro para exterminar a personagem Sarah Connor, uma vez que o seu filho – do qual ela nem está gravida ainda – se tornaria o líder da resistência dos humanos contra as máquinas. É uma das maiores franquias cinematográficas que rendeu 5 filmes entre 1984 e 2015.

De Volta para o Futuro

Uma das obras mais icônicas da cultura Pop. Essa franquia é uma das maiores referências em filmes sobre viagens no tempo. Na produção, o Dr. Emmet Brown transforma o seu carro DeLorean DMC-12 em uma máquina do tempo e, junto com o seu jovem amigo, retorna 30 anos no passado. Essa experiência gera ao Dr. Mudanças no presente e, por isso, ele precisa retornar novamente para consertar as mudanças que havia feito. Além das continuações do filme inicial, De Volta Para o Futuro rendeu desenhos animados e jogos.

Feitiço do Tempo

Para além das explicações e aplicações de teorias científicas, esse clássico do cinema mistura mudanças no tempo com muito humor, ao contar a história de um jornalista que, ao cobrir os eventos de uma pequena cidade, fica preso em um único dia. Sempre que ele acorda para o dia seguinte, os eventos do dia anterior repetem-se inúmeras vezes.

TimeCop – O Guardião do Tempo

Esse filme, baseado nos quadrinhos de mesmo nome e estrelado por Jean-Claude Van Damme, integra o grande acervo de fantasias da tão esperada era tecnológica do século XXI. Filmado em 1994, conta a história de uma época em que as máquinas do tempo não só existiam, mas foram aprimoradas a ponto de ganharem uso popular e ser instrumento de bandidos que voltavam ao passado para se dar bem. O protagonista da trama é um agente “guardião” que volta no tempo em busca desses bandidos. O mais inusitado do filme é a sua representação de máquina do tempo, como um veículo futurista que desliza por um trilho em direção a um portal até que os passageiros sumam rumo ao passado. Mesmo sendo uma produção de mais de vinte anos, TimeCop ainda é um dos maiores sucessos do ator.

Viagem no Tempo em Outras Mídias

Além das obras cinematográficas, encontramos histórias de viajantes no tempo na literatura, nas séries de ficção cientifica e nos HQs. Como é o caso da série Heroes, que trata a viagem no tempo como um dom concedido a poucas pessoas. Representado pelo personagem Hiro Nakamura, que possui o poder de controlar o tempo-espaço.

Direto dos quadrinhos, a história do super-herói Flash, aborda as habilidades do personagem Barry Allen. Através do poder de velocidade, ele consegue transpor a linha temporal. Explora, não somente a viagem no tempo, como também as teorias de multiverso. Isto é, da existência de universos paralelos com planetas e pessoas sósias aos terráqueos.

Quais Seriam as Implicações de Viajar no Tempo?

Viagem-no-Tempo

Ao trazer os temas de viajantes do tempo, o cinema e a literatura exploram não somente as possibilidades físicas de se executar essa ação, como também as possibilidades filosóficas e éticas a partir de implicações que podem acontecer na alteração do tempo-espaço no passado ou futuro.

Dentre as questões levantadas em muitos filmes, existem as ideias de consistência dos fatos, em que qualquer mudança no passado afetaria diretamente o futuro. Em outras histórias, mesmo com a viagem no tempo, todos os acontecimentos aparecem de forma linear. Por isso, quaisquer modificações de uma viagem no tempo-espaço já teriam acontecido no decorrer da passagem do tempo antes do momento da viagem.

Em histórias que exploram as teorias de multiverso, como em The Flash, qualquer viagem no tempo, seja para o passado ou futuro, criaria novas linhas temporais paralelas que se conectam em todos os mundos.

Conclusão

Teorias sobre viagem no tempo tomaram conta da imaginação popular e científica nos séculos XIX e XX. Envolvem centenas de pesquisas e milhares de histórias, sejam de fantasia, sejam lendas urbanas e crenças populares. As histórias que envolviam o uso da tecnologia para viajar no tempo, quase em sua totalidade depositaram no século em que vivemos essa expectativa. Abordando, não somente as possibilidades de viagens como implicações físicas, sociais e éticas. O que resultou em uma trama complexa e rica de teorias e fantasias sobre viagens temporais.

A verdade é que o século XXI chegou e a passagem do tempo ainda nos é linear. Pela tecnologia, não conseguimos criar uma máquina capaz de fazer a viagem no tempo. Por mais que tenhamos diversas teorias a respeito. Por outro lado, diversas viagens temporais são feitas na imaginação das grandes e pequenas histórias. Elas nos transportam a todos os mundos possíveis, enriquecendo nosso presente, futuro e, não por menos, o passado.

 Referências para viagem no tempo

 

Este texto foi produzido pela G.Produções.